quarta-feira, 30 de junho de 2010

Sobre hábitos e rotina.

O conforto é insuperável. Chegar em casa, obrigações cumpridas e uma boa folga. Merecida folga.
Prepara alguma coisa pra comer, depois se aconchega na cama e assiste tv aberta mesmo, quem sabe até aquela novelinha mexicana bobinha que passa de tarde pela sei lá que vez. Não interessa, por que adormecer é o verdadeiro objetiva mesmo.

Ah, nada é melhor do estar em casa, confortavelmente respirando seus hábitos abraçada pela sua rotina segura.
Melhor do que isso é ter com quem dividir. Deitar no colo, fazer carinho, respirar junto. Aí sim me sinto segura, um abraço me trás a sensação de uma proteção maior que anti-mísseis. É incrível como o sentimento pode transformar a rotina sacal em segura, os hábitos metódicos em situações confortáveis a serem divididas.

Nunca estive assim, até estranhei no começo mas garanto que mais satisfação é impossível e não quero mudar jamais!

segunda-feira, 28 de junho de 2010

Aqui pra você!

É isso mesmo! O título e a imagem já dizem tudo. Mas eu explico.
Pra começar, a imagem é proposital, ok?! Eu não errei o dedo, mas para que aqueles com deficiência cognitiva possam entender, afinal meu blog é democrático e contra exclusão, essa foto faz referência a atitude daquelas pessoas que usam aliança e não estão nem aí pro que vão pensar e/ou dizer.


Bom, ontem eu e o Bruno saímos pra escolher a nossa aliança [linda *.*] e começamos a usar. Aí, esse contexto me relembrou umas fatos, histórias e reações comuns, outras nem tanto.


Conversando com uma amiga de tempos, relembramos desses ocorridos por conta desse artefato tão singelo. Dentre os quadros memoráveis, nossos ou de amigos eu fiz uma seleção entre os mais , digamos assim...peculiares, que despertam diferentes emoções, que eu vou citar aqui com nomes fictícios.


A primeira história é de leve revoltante. No inicio do namoro , Fulaninha e Fulaninho, combinaram que aos 6 meses de namoro usariam aliança, ideia mútua que partira, digamos, de indiretas de Fulaninho. No aniversário  de namoro em questão, Fulaninho não poderia buscar as alianças pois tinha um almoço coma  família e pedia para Fulaninha buscar, e assim ela fez. Quando se encontraram de tarde ao colocarem as alianças, Fulaninho diz:


"Acho que não deveriamos dar esse passo sem pensar bem, digo...acho que está um pouco cedo ainda, se importa?!"


" Ué, Fulaninho, então por que não disse hoje de manhã na aula, que eu nem ia buscar?!"


Algumasdesculpas esfarrapadas depois, Fulaninha em casa SEM aliança conclui que foi influência familiar [mãe] que era meio anti-namoro dos dois...enfim, era meio bruaca e talz, mas isso é outro papo.




A segunda história é mais tranquila e bem mais comum também. Bom, tudo ia bem entre Bendito  e Bendita, exceto pela prima de Bendito. Todo mundo gostava do casal, Bendita se dava super bem com a família, inclusive com a PRIMA que era muito amiguinha dele. O problema é que a PRIMA, na verdade, alimentava uma possessão por Bendito, e as vezes reclamava "inocentemente" sobre a ausência dele por estar com Bendita. Mas enfim, nada passava disso. Eis o dia em que Bendito num almoço de família [25 de dezembro] dá as alianças de presente para Bendita. Todos acharam legal, "inclusive'' a PRIMA mas que na verdade, com o tempo, arranjou a maior confusão, tentou implantar a discórdia na família contra Bendita e no final das contas...bem não teve final por que pra família nem começou, graças a mãe de Bendito que sabia que esse pitizinho aconteceria e que era um ciúme não justificado.


A terceira história...bem, nem sei como descrever, até hoje paro e penso como eu teria reagido. Enfim, leiam e tirem suas próprias conclusões.


ELE e ELA começaram a namorar pouco tempo depois de ELE ter terminado, mais ou menos uns dois meses. Depois de um tempo de namoro ELE e ELA começam a usar aliança. Pra família de ambos foi uma surpresa, já que nenhum dos dois não tinham usado aliança nos relacionamentos anteriores, mas a família dele      foi um pouco mais, principalmente entre os primos e os pais, pois ELE tinha uma política anti-aliança antes de conhecer ELA, achava que aliança era coleira e enfim, essas coisas. Mas esse namoro foi ficando mais sério, enfim, diferente do que ambos já tiveram e algumas coisas mudaram pra eles. Por mais surpresa que tenha sido, as famílias gostaram, apoiavam o namoro. O problema foi a EX. Não foi um pitizinho não, foi algo, quase caótico! Insatisfeita por não ter sido a felizarda que usaria aliança com ELE e por uma dor de cotovelo pelo fim recente e uma mudança tão grande no comportamento dele. Por isso, a EX, que já sabia quem era ELA, começou em doses homeopáticas a divulgar um boato que, devido a surpresa ainda fresca pela aliança que ELE resolveu usar, algumas pessoas começaram a acreditar. A EX começou a comentar, "sem dar muita importância", pra não levantar suspeitas que seria intriguinha, que ELA estava grávida e por isso essa mudança repentina da opinião dele. Algumas pessoas acreditaram pois familiares da ex eram conhecidos e frequentavam os mesmo lugares que a família de ELA. E a EX teve o cuidado de passar a informação de forma a parecer verdade, disse que ficou sabendo por um tia que estava realmente grávida que havia encontrado ELA no obstetra, e que ELA era tão frequente lá como sua tia grávida. Bom, já imaginaram a dimensão que essa história tomou. Mas ELE e ELA lidaram muito bem com isso, sentaram e conversaram com a EX, foi aquela conversa! No final das contas a mal falada foi a EX e tudo foi desmentido.


Um puta novela mexicana, né?! Mas na boa, meu, olha pra isso e me responde, pra quê?! Nada. No final de tudo esses boatos são desmentidos, pitis são ignorados e scraps apagados. Sorte a minha ter um namorado lindo, com uma mãe legal e sem prima chata [aliás, a prima dele é um amor ^^].


Moral das histórias: Use aliança, seja feliz e foda-se o resto ;D

domingo, 20 de junho de 2010

Semana dos namorados.

Pois é, enquanto boa parte dos casais teve o dia dos namorados eu tive uma semana inteirinha!Nossa, como foi tudo perfeito. No sábado, dia 12 trocamos presentes (maravilhosos!), cozinhamos juntos e fizemos um jantar romântico ao som de Marilyn Manson. Nosso primeiro dia dos namorados (oficial, né, meu bem!?). Domingo passamos aquele dia gostoso juntinhos vendo filme e descansando pra começar uma semana daquelas.


Bom, durante a semana passamos o tempo que podíamos juntos, nem que fosse na cama, um do lado do outro, trabalhando em seu respectivo notebook, curtindo o friozinho com coberta e tv ligada. A gente saía pra jantar, fizemos compras, realizavamos desejos gastronômicos e vivemos aquela vida de casal que qualquer um idealiza.
Fomos ao teatro, choramos de rir, saímos pra comer litro de gordura disfarçado em nachos, queijo e batata.


Ontem, fizemos seis meses de namoro *.* Cada dia que passamos juntos foi tão especial que nem vi passar. Tudo só melhora entre a gente. Lindo!


Eu imaginei que fosse fazer um post gigantesco depois dessa semana que eu esperei passar só pra postar, mas, infelizmente, meu maridão lindo foi embora hoje e a saudade é tanta que eu vou terminar logo pra poder ir falar com ele.








Ah!
Te amo, meu lindo!

quinta-feira, 10 de junho de 2010

Pré Trote

Hoje foi o pré trote dos meus calourinhos, diurno E noturno!
Estou sem voz, foi sensacional...

Andaram de elefantinho, ganharam capacetes [diurno], fizeram uma performance da Lady Gaga [noturno], medimos calcinhas e cuecas, tirei cintos... Tudo que um pré trote tem direito.

O pré trote é uma grande tradição na FAU, todo esse ritual... o Berequetê! A gente tenta manter o máximo na brincadeira, as vezes algumas pessoas ficam meio sem jeito mas tudo se resolve no final.

E àqueles que me viram tirando os cintos e disseram:
"Ué, não era você que tinha namorado?!"

Olha, que fique bem claro que não, eu NÃO tenho namorado e sim um MARIDO! [que eu amo muito!]

segunda-feira, 7 de junho de 2010

Feriadão...

Êh coisa boa...Nada melhor do que um feriadão, mas... Por quê a gente só se dá conta do quanto poderia ter aproveitado nas últimas horas dele?! Naquele fim depressivo de domingo é quando a gente percebe, puta merda, tinha que ter estudado desde quarta a noite! Ou então, deveria ter dormido melhor, regulado meu horário e passado mais tempo com meu namorado lindo que não me deixou levantar hoje de manhã quando ele estava indo embora porque estava frio.


Sim, poderia ter aproveitado melhor esse raro momento de grande espaço de tempo livre, porém...
Dormir até tarde com meu namorado foi sensacional, ir ao cinema, alugar dois filmes, cantar musiquinhas do desenho da disney e ficar fora do horário foi muito bom.


Cada dia que passa estou mais viciada nessa vida de casados. É sério! Nada melhor do que acordar com ele, dormir com ele, almoçar, jantar, estudar...TUDO!


Mas o pior é quando chega sábado a noite e eu sei que no outro dia de manhã ele vai ter que levantar cedinho e ir embora. Eu vou estar tão sonolenta que só vou me dar conta disso quando realmente acordar. Aí, um apartamento tão pequeno quanto o meu fica vazio ao ponto de parecer uma imensidão. A cama parece faltar um pedaço, o melhor deles, o que aconchega e é quentinho durante a madrugada. Fico sem ter quem abraçar quando tenho pesadelo pois nem o meu amor, nem a minha ursinha está aqui. [Nota: Ela está na casa da minha mãe pra ir para uma reparação na costureira, por que ela é muito velhinha já, tem mais ou menos uns 15anos, e precisa trocar algumas coisinhas]


E mesmo que minha ursinha estivesse aqui, certos pesadelos só o Bruno me acalma. Só ele pra dizer que está tudo bem, que a gente não brigou de verdade, que foi só um pesadelo e que ele está alí. Só o carinho dele pra me por pra dormir de novo.


Já acordei procurando o Bruno inconscientemente enquanto dormia.


Que vontade de adiantar tudo pra parte em que a gente mora junto. Mas tudo bem, eu espero até porque é essa falta mortal que eu sinto dele agora que vai me fazer valorizar cada segundo quando a gente está junto e que torna mais perfeita ainda a ideia de poder passar o resto da vida do lado dele.


*.*