terça-feira, 21 de julho de 2009

Dia Do Amigo.

Amo muito meus amigos, talvez esse seja o problema.
Não vou ser tão clichê e falar sobre as belas amizades que tenho neste post, afinal, eu as confirmo a cada dia e não é em uma data comercial que tenho que provar aos meus amigos que os amo.


Vou falar do quanto banal está o status de amigo. Pra começar, vou logo esclarecendo: NÃO TENHO NADA CONTRA DATAS COMERCIAIS, só acho que não devemos nos prender a elas pra dizer quando gostamos ou não de alguém, certo?! Então, esse é um dos problemas das amizades, elas tem data, prazo de validade, época. Cadê aquele seu amiguinho que vocês diziam que iam crescer fazer faculdade e morar juntos?! E aquele seu coleguinha que brincava com você todas as tardes?! São os amigos de infância, bons amigos aqueles,néh?! Mas, quem foi que estipulou que amigos do pique-esconde e da queimada precisam sumir quando se torna pré-adolescente?!


O mais engraçado é que essas coisas vão acontecendo e a gente nem percebe, só se toca quando recebe a notícia que o tal fulano morreu. Pior do que isso, é quando se faz o flashback e vai percebendo que as amizades foram sendo trocas como a decoração do quarto, seu amigo entra numa escola mais legal, você muda de turma, ele faz novos amigos, você tenta ser amigo dos novos elementos, ele pára de te ligar, e mais dia menos dia o tempo e a circunstância já separou vocês. Será que foi isso mesmo?! Ou um dos dois simplesmente escolheu a nova vida sem se preocupar em manter a antiga?!


Desculpem a minha acidez.

Feliz dia do amigo!

sábado, 18 de julho de 2009

Oficialmente UnBênha!


Missão cumprida!

Obrigada, meu Deus! Estou extremamente feliz... Satisfação imensurável, estado de ecstasy. Valeu cada segundo de estudo, cada minuto de prova, cada hora de aula, cada dia mal dormido! Abri mão de algumas coisas, mas a recompensa foi enorme!


Tem alguém lá em cima muito feliz por mim, né Sr. Paulo Roberto Marcelino?! Sei que estava lá fazendo a prova comigo, nunca duvidei disso. O senhor sempre me acompanhou desde que nasci, mesmo depois de virar anjo, estava lá do meu lado, me guiando nas exatas. Muito obrigada, papai!

Agora sou oficialmente UnBênha e, claro, o orgulho da mamãe!