quarta-feira, 2 de dezembro de 2015

Porque é assim mesmo.

O problema era mais do que gostar dele. Ela gostava do que ele representava, da maneira que ela se sentia, ela gostava dessa nova ideia sobre ela. Mas quando veio a mudança isso significou vários nãos pra ela, e principalmente a ruptura com aquela sua nova forma. Ela se odiou, principalmente por ter se colocado naquela situação, por ter vinculado sua felicidade e permitido que alguém fosse parte de sua motivação. Agora ela odeia coisas que sempre amou. Quer fugir daquilo que sempre quis poder ter. Quer matar cada pedaço disso em si. Não quer mais pela decepção de ter quisto tanto. E por mais triste e odiosa que ela possa estar, parte dela reconhece o ato de amor próprio que é isso tudo. Pois ela está desistindo de uma vida vazia, abandonada e frustrada para ter a chance de se reconstruir e ser completa por si só. Depois vai ver que isso a construiu e até a fortaleceu. Mas agora, é só reclusão e travesseiro molhado.