terça-feira, 10 de agosto de 2010

#escrevendo

Foram os olhos mais opacos que tivera. A resposta mais mecânica e a realidade mais fria.
Sem vontade pra ler sobre o assunto, ou quem sabe levantar da cama, sabia que seria assim, queria cortar de vez a sensação e estado. Não deu. Não dá.
Queria voltar, concertar e voltar novamente para o agora.
Assim seria mais fácil, mas é aquela história, de mais uma entre tantas.
Parece que isso que é o natural. Mas não é, só que ninguém liga. Não existe remédio, tratamento concreto ou clínica especializada, só quando se trata do contrário, aí existe até concorrência.
E os olhos serão eternamente opacos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário