quarta-feira, 19 de maio de 2010

Nostalgia?! Talvez.

Que saudade dos meus tempos de menina. Quando eu acordava cedo pra ir pra escola, mamãe preparava o café e o papai colocava a farda. Saudade de chegar em casa e conseguir fazer meu dever de casa em minutos e poder ir brincar, ver tv ou dormir a tarde toda. Saudade das tardes que passava arrumando os móveis da barbie em diversas composições, ficava horas só preparando a casinha. Gostava de costurar roupas, fingia que tinha um ateliê e ficava fazendo desenhos e moldes em retalhos coloridos. Por incrível que pareça, brincava de desenhar plantas de casas, mas pra mim, um lápis, uma régua e uma borracha eram mais que necessários. Eu fazia os mais diversos desenhinhos, passava o dia no meio de canetas, lápis de cor, giz de cera, hidrocor e papel, todo tipo e tamanho, desenhando.


Saudade do que ficou, dos trabalhinhos do primário, da facilidade de execução, e da diversão que era. Saudade da minha escola em Nova Friburgo, dos trabalhos grandiosos, das risadas escandalosas e do inverno que nos matava. Saudade daquele jardim, das monitorias que dei nele, das tardes que estudamos lá e das tortas que comiamos depois.Ah, as tortas...que bela vida gastronômica eu tinha por lá.


Saudade de morar em família, digo, vontade de morar em família, por que quando morávamos sempre tinha algo no meio que desalinhava nosso relacionamento. Moramos em família até 1998. Depois disso, tivemos nossos impasses.


Sinto saudade. Quando eu era mais nova e ficava muito triste, eu tinha muita vontade de acordar e descobrir que foi um pesadelo, que meu pai ainda estava com a gente, e que nada daquilo tinha acontecido. Bom, até hoje não acordei, felizmente, por incrível que pareça. Não trocaria minha faculdade, minha dança, nem meu namorado por uma chance de refazer uma infância mais legalzinha. Passei pelo que passei, superei e fim. Agora são outros quinhentos.

Um comentário: