sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

Sentidos



Passeando por blogs alheios, li um post muito interessante sobre a dimensão das coisas em nossas vidas. Voltando pra casa hoje, vim pensando sobre isso e confesso que fiquei com medo do rumo que as coisas tomam, elas fluem com uma naturalidade que quando vejo, já passaram dos limites e eu perdi o controle da situação, e nem me dei ao mimo de criar expectativas e me deixar levar, fico enrolada com fato de não ser algo nem tão racional ao ponto de não me preocupar e nem tão emocional para que eu possa me envolver. É morno.

Fico pensando sozinha, sobre tudo isso, o quanto são vagas essas questões. Me preocupo quando me pego querendo criar expectativas, e mais ainda quando caio em mim e não quero. Será que nasci mesmo viúva negra?!

Bom, não acho desconfortante a ideia de matar meu tempo com os meus livros, meus seriados, meus filmes, minha dança, mas e no final, quando eu for uma velhinha de 70 anos com piercings e tattoos como resquícios da juventude, vou ter meu velhinho ex-rockstar do lado?!

Entendam, minha preocupação não é morrer sozinha ou ficar "encalhada". Simplesmente não vejo espaço pra uma história de amor na minha vida hoje, e pelo andar da carruagem, só tende a ter menos ainda. Mas e mais pra frente, não sentirei falta?! Digo; será que o espaço que não quero "desperdiçar" hoje me será um vácuo amanhã?! Afinal, não quero me casar apenas pra não ficar sozinha, quero ter motivação pra isso, assim como tudo que faço. Talvez isso não faça nenhum sentido, talvez faça algum.

Mas não é um questão de sentido, é de sentimento. Ou a falta dele.

2 comentários:

  1. Será que nasci mesmo viúva negra?! Amiga, eu penso isso, essa exata frase eu juro! Eu nunca imaginei que ia namorá-lo e gostar dele kkk isso quer dizer que acontece quando a gente menos espera e eu realmente não crio expectativas sobre isso.
    Estamos muito novinhas pra pensar nessa de casamento. Um dia quero me apaixonar perdidamente e me casar também, mas, não agora, ainda tenho dez anos antes disso...dez anos. quero ao menos 7 deles só pra mim...quero ser feliz antes de ser a pessoa ideal pra alguém quero ser ideal pra Allice primeiro!
    E sim: será que teremos tempo pra isso fora de férias?

    ResponderExcluir
  2. Durante a boemia do meu ano de 2009, pensei muito sobre isso...

    Normalmente eu te diria que de fato somos todos sozinhos, não importando com quem estejamos; mas este final de ano me fez discordar de minhas máximas. Não que eu esteja mudando aquilo que demorei anos pra tirar como conclusão, mas é curioso como consigui cumprir uma alteridade incrível dentro de mim mesmo. É como se soubesse a verdade cruel das coisas... mas a ignorasse com fervor.

    Por mais que vc seja o que julga estar representando, uma "viúva negra", geralmente chega momento em que esquecemos ou ignoramos aquilo que nos acostumamos a ser, pra continuar a vida...

    (Isso pareceu Humberto Eco é? Nossa... que nojo! Esqueça que fui eu quem fiz esse comentário... XD)

    ResponderExcluir