domingo, 19 de abril de 2009

Satisfação de bailarina


Feliz é pouco, estou radiante! Nada como a dança pra elevar nosso ego acima da meia ponta.
Agradeço à Deus pelas professoras que tenho: Ana Luiza, Dalilah e Monah. Sem contar em todas as outras habibas do zahra, professoras ou alunas, elas ajudam mesmo, gosto delas como família.
Cada apresentação, por mais dolorida e cansada que eu esteja, dá uma sensação de missão cumprida, e a satisfação é imensurável. Coisa de bailarina.
A propósito, antes que algum engraçadinho venha querendo cortar a minha onda, já explico aos mal informados, bailarina é quem leva a dança a sério [em palavras simples], quem ensaia bastante, estuda, se entrega, vive a dança, digamos, leva a faça a nível profissional. Não se restringe a quem faz ballet, ok?!

quarta-feira, 1 de abril de 2009

Inspiração


Maior que a dança não há!
Bailarina sabe. E como sabe!
O véu, a espada, os snujs, a bengala,taças e velas, candelabro, pandeiro... Inúmeros aliados que adornam a bailarina dando preenchimento e moldura.
São comparsas, cúmplices, fiéis. Flutuam conosco sobre a meia ponta.
Passos leves, movimentação de quadril, deslocamentos, toda a composição formam a dança circular que é a dança do ventre, ligada e contínua.
Incansável.
Expressiva.
Feitiço.
Encanto.
Vital.